entrevistas

Luke Steele sobre descobrir seu som solo com o álbum de estreia 'Listen to the Water'

Luke Steele

O vocalista do Empire of the Sun e do The Sleepy Jackson, Luke Steele, não é estranho para os fãs de música australianos, mas seu novo capítulo tem sido uma experiência completamente nova.

O álbum de estreia de Luke Steele Ouça a água foi escrito e gravado em sua nova casa apelidada de 'Eccentric Farm', um ambiente que se inseriu no som de Steele como artista solo.

Conversamos com Luke sobre o impacto da fazenda no registro, símbolos recorrentes e compra de máscaras de lesma na internet.

Luke Steele

FELIZ: Para quem não viu, como você descreveria a Fazenda Excêntrica onde Ouça a água foi escrito.

LUCAS: Um lugar mágico, mas bastante selvagem e imprevisível. Há esquilos, ursos pretos, veados, águias, escorpiões e cobras etc tudo sob o manto dessas árvores como grandes gigantes. As estações são intensas de verões escaldantes a invernos profundos com neve pesada. É bem isolado, então as distrações são mínimas e às vezes você sente que está em outro planeta.

FELIZ: Eu li que sua jornada para possuir a fazenda é bem interessante. Como isso aconteceu?

LUCAS: Nosso lugar em LA estava meio que falando conosco dizendo para seguir em frente. Tudo começou a quebrar da geladeira ao AirCon para isso e aquilo. A mensagem parecia tão óbvia que era hora de deixar a cidade.

FELIZ: Quanta influência tiveram as paisagens ao seu redor quando você estava escrevendo o disco?

LUCAS: As músicas são mais como uma sessão de terapia pessoal, eu fazendo perguntas e encontrando respostas, estar cercado por essas árvores e animais gigantes tornou mais fácil encontrar a tranquilidade quando minha mente estava correndo.

FELIZ: Eu amo o jeito que você usou a natureza para criar temas coloridos em cada um dos vídeos para os singles do álbum, a visualização de cores para combinar com os sons faz parte do seu processo criativo?

LUCAS: Sim, as cores são as roupas que a música está vestindo, é a representação. É realmente um álbum bem suave, então queríamos saturar os vídeos para dar uma vantagem, um pouco de cor dos anos 90/um pouco do futuro. Uma espécie de Cowboy viajando em vários fusos horários.

FELIZ: Você cobriu alguns gêneros ao longo de sua carreira; dance com Empire of the Sun e Dreams, rock alternativo com The Sleepy Jackson, e agora esse disco meio que experimenta com folk. Os sons acústicos são algo que você sempre quis explorar?

LUCAS: Sempre tive esse som e a guitarra sempre foi minha amiga mais próxima. Eu gosto de todos os gêneros, mas agora é a hora para isso.

FELIZ: Você achou difícil encontrar seu som como artista solo?

LUCAS: Sim e não… Sempre esteve lá, eu meio que precisava das músicas e sons certos para se encaixar e sincronizar. É semelhante à vida e aos padrões em que você entra. Pode levar 20 anos para mudar de direção e encontrar as chaves para a liberdade.

FELIZ: Um visual recorrente do álbum são as 5 marcas de contagem, há uma história em particular por trás delas?

LUCAS: Eu amo símbolos. Eles representam algo sem que a linguagem tenha que ser soletrada. Príncipe, a cruz, alguém sorri como um símbolo de alegria. Enquanto escrevia essas músicas, voltei a mergulhar fundo na pintura de telas. Eu continuei vendo 555 em todos os lugares em relógios e coisas. Então a contagem começou como um símbolo que eu usava nas minhas peças de arte.

FELIZ: Por último, eu só queria perguntar: onde diabos você conseguiu a máscara do Sr. Slug que você postou no Instagram?

LUCAS: Ha, encontramos algumas coisas bem estranhas por aí procurando por diferentes conceitos de guarda-roupa. A lesma foi um grande achado. A postagem foi muito lenta, mas. Ah!

O primeiro álbum solo de Luke Ouça a água já está disponível em todas as plataformas de streaming. Sinta o gosto do álbum abaixo.

Fotos fornecidas

Entrevista por Lochie Schuster